Inteligência artificial mudará conceitos das construções em Joinville

O Sindicato da Indústria da Construção de Joinville (Sinduscon) criou seu comitê técnico de inovação. O diretor de Economia e Estatística do sindicato e membro do comitê, Luciano Watzko, diz que o tempo entre o surgimento de uma inovação e a consolidação da novidade como algo seguro para aplicação nas construções reduziu muito.
 
“Controle de acesso por biometria, portões eletrônicos com reconhecimento de veículos, fechaduras eletrônicas, automação de iluminação, persianas, climatização e som, além de sistema de energia com placas fotovoltaicas são tecnologias que já existiam, mas continuam evoluindo e se tornando cada vez mais acessíveis.”
 
A boa notícia é que muitas edificações em Joinville e na região já contam com esses recursos.
 
Além da tecnologia e automatização, as áreas comuns dos edifícios também têm recebido destaque. Itens como coworking, lavanderia compartilhada, academias bem equipadas, pet place, bike community com bicicletas e patinetes elétricos, vagas para carros elétricos e, em alguns casos, carros para uso compartilhado já são itens de série em muitos novos projetos e devem fazer parte das obras que serão entregues nos próximos anos.
 
Várias dessas novidades vêm ao encontro da otimização de recursos e de obras com processos de produção cada vez mais sustentáveis. A constante busca por energia limpa e barata e a diminuição no consumo de recursos naturais como a água, assim como o equilíbrio na manutenção e nos custos gerais das edificações, depois de prontas, são outros pontos considerados.
 
Na lista das 50 empresas mais inovadoras do Sul do país e única catarinense na categoria Construção e Imobiliário, segundo o ranking Campeãs de Inovação, a Rôgga aprimora constantemente seus processos. A construtora desenvolveu o sistema RES – Rôgga Edifícios Sustentáveis.  A solução reduz, em até 80% os resíduos gerados na fase de execução das obras.
 
Outra tendência de mercado é a implantação de alamedas de serviço ou minimercados nos condomínios, que são planejados de acordo com o porte da edificação.
 
Assim como a inteligência artificial se mostra em pleno desenvolvimento, muito em breve as edificações estarão tão automatizadas que o morador chegará em seu prédio e não precisará usar chaves ou apertar botões para entrar.
 
O reconhecimento, será instantâneo e, à medida que o proprietário se aproximar de casa, o portão e as portas se abrirão e, depois de usar a biometria para entrar no apartamento, tudo estará ligado ou climatizado de acordo com a preferência e os hábitos do morador. O elevador inteligente com chamada por aplicativo integrado ao sistema de armazenamento de energia das frenagens já está nos projetos atuais e será futuramente interligado a todo o restante desta tecnologia. Tudo será conectado.


Fonte: NSC Total

Desenvolvimento por Mega Marketing de Experiência